Novidades do Mercado #25

E vocês acharam que ia ter um post longo hoje né?

Mas a crise não pegou apenas o papel, pelo visto fez um estrago no bolso das editoras também e as tão faladas palestras da CCXP foram um fiasco (tão fiasco que nenhum blog cobriu a da JBC).

planetmanga

Editora Panini

A única editora com novidades dignas de serem comentadas é a Panini que anunciou duas séries novas, mas que todo mundo sabia.
OnePunchMan_manga_cover
A primeira era o aguardado One Punch-Man. “Ah Haag, mas porque aguardado?”, porque sim ué, tanto era aguardado, que todos apostaram nele no bolão. O perfil da Panini já tinha dado uma pista alguns meses atrás de que estavam estudando o mangá, e tudo ficou mais óbvio ainda mês passado, quando as Paninis italiana e mexicana anunciaram a obra, então realmente não foi surpresa, eu e o Kyon (lá no BBM) falamos várias vezes que ele ia vir.

Eu vou pegar OPM, mas fiquei bem decepcionado de ver ele na Panini (embora já soubesse). Provavelmente vai ser mangá de linha, com a qualidade fraca da editora e sem as belas artes das orelhas e contracapas, tudo isso só porque o público ainda prefere pagar R$ 12,90 a ter algo melhor (e não me venham com chorumelas porque vocês sabem que é verdade).

O segundo anúncio pode até ser pensado como “que surpreendente”, mas também não é. A Panini é a “editora misteriosa” que pegou Vagabond. “Ah Haag, mas essa eu lembro que você apostou na NewPOP”, apostei sim, mas muito pela vontade pessoal, era fato que Vagabond seria grande demais para a NewPOP, e se a JBC já tinha negado, então só sobrava a Panini. É como apostar em Koe no Katachi em qualquer editora que não seja a JBC, pode acontecer, mas é improvável.Vagabond_01_001_00

Sobre Vagabond, informações foram reveladas já, o mangá será no mesmo formato que Planetes, com offset e orelhas (o que não significa o mesmo preço, ok?). Dificilmente pegarei, já falei em Blade que eu prefiro mangás mais “cyber” e menos samurai, e com tudo que eu gasto por mês em mangá, quase R$ 20,00 em uma obra longa e sem certeza de fim é inviável pra mim (e eu não estou afim de ouvir um “é tetra”, se é que me entendem).

Agora vou deixar vocês com um pensamento: já tivemos Berserk bimestral, Naruto pela terceira vez, e agora a Panini decide relançar um mangá que já foi cancelado 3 vezes no Brasil. Será que Bleach está tão fora assim dos planos para não conseguir ser relançado em tantos anos?

Bom, terminou CCXP e quem sabe agora os mangás de novembro não chegam nas lojas? (sério, dessa vez nem a Comix tem ainda).

Anúncios

18 comentários

  1. Fiquei feliz por ver que Vagabond será no formato de Planetes (assim não corremos o risco de vê-lo na qualidade de um 20thCB, por exemplo). Sobre OP-Man, fico imaginando como o Cassius ficou depois desse anúncio, pois o mesmo disse que adora o mangá e que ficaria muito feliz se pudesse trabalhar nele (fora que a JBC foi a primeira a demonstrar interesse no mangá). Bela rasteira, hein? @_@
    Mas indo pro quesito quantidade… Por mais que OP-Man e Vaga sejam títulos fortíssimos, temos que admitir que passamos fome, hein? Só dois? Se não fosse pela Panini e um fulano da Toei dizendo que vai ter mais anime de CdZ próximo ano, o CCXP teria passado despercebido por mim.

  2. Caramba JBC não anunciou nada. Eu pretendo pegar Vagabond, gosto bastante desse estilo samurai só vou torcer para não ser cancelado, talvez acabe pegando ele online para não pagar tão caro e pegar alguns descontos. Já OPM é certeza, jeito é torcer para não virar um fase 2 da panini porque daí não tem jeito.

    Cassius deve estar preparando alguma coisa para descontar na Panini quanto a OPM, só ver como foi com Orange que já deu pra ver que ele tava mordido com alguma coisa que tinha acontecido.

    • O caso de Orange é que ele tava mordido com Aoharaido, não que a JBC fosse anunciar, é que a Beth meteu pilha pra ele falar mal de shoujo e depois anunciou o mangá. hahahahahahaha
      Sabe que eu não vejo necessidade da JBC rebater? Na verdade, quem tem que rebater é a Panini, ok, Vagabond é foda e tal, mas a JBC tem AKIRA e Ghots In The Shell.
      Só que como elas andam nessa “briguinha”, acho que vem resposta para OPM sim, mas o que pode ser? Sindonia No Kishi ou até (deus queira que não) Boku no Hero só pra ficar naquele “tu pegou meu brinquedo e eu peguei o teu”?
      Mas uma coisa eu acho quase certa: não vamos ter lançamento da JBC em janeiro, só se eles tiverem algo muito encaminhado, mas ai vem, se tem, porque não anunciou na CCXP?

  3. Bom, sinceramente, não ligo pra OPM nem pra Vagabond, então a ccpx foi completamente inútil do meu ponto de vista (se ao menos eu pudesse ter ido nela).
    A JBC deve estar preparando algo pra anunciar no Ressaca Friends, já que os caras gostam de uma treta XD Pena que vai ser o Marcelo del Greco na mesa redonda das editoras e não o Cassius. Mais anúncios do Ink pelo jeito. A NewPop aparentemente vai anunciar mais alguma coisa lá também.

  4. Nossa, realmente anunciaram pouca coisa. Fiquei acompanhando (de longe mesmo, porque nunca vou nesses eventos) e fiquei surpresa pela JBC não anunciar nada.
    Provavelmente não levo nada, sei lá, OPM nunca me atraiu, nem vi o mangá, mas Vagabond parece legal, mas é o que você falou, o mangá não vai sair barato e há a possibilidade de não terminar, especialmente porque é da Panini.
    Não acredito que apostei que Vagabond vinha pela JBC, sou muito burra! É claro que não iriam ter dois mangás de samurais ao mesmo tempo. Mas isso me faz pensar que se a Panini está com os direitos de publicação de Slam Dunk, então o mangá vai na melhor das hipóteses em 2017 quando terminar Kuroko, embora eu ache que depois de Kuroko vem Haikyuu! para não ter dois mangás de basquete seguidos. Enfim…
    Ah, Haag, queria perguntar uma coisa, fui ver em que editora eu tinha colocado Vagabond lá no post do bolão e vi que sem querer eu acabei escrevendo Koe to Katachi ao invés de Koe no Katachi. Se o título for anunciado conta a minha aposta?

    • Acho que Haikyuu! vem ainda com Kuroko em publicação, mas quando já estiver faltando uns 5 ou 6 volumes. Pra aproveitar as Olimpiadas.

      Está valendo sim, eu arrumei aqui. Assim como também vale quem escreveu A Silent Voice, que é o nome da versão americana (o que me deixa com medo dele sair no Brasil como “Uma Voz Silenciosa” :P).

      • Meh, ficaria okay com “Uma Voz Silenciosa”, mas acho que sairia como “A Silent Voice” só para evitar esse debate título em japonês x título em português… e também porque – acho – que pode vir a ser um mangá de marca (tipo AssClass ou The Seven Deadly Sins). Não sei em quais países o mangá já saiu e nem se o título mudou, mas me parece bem mais fácil colocar em inglês mesmo. Até porque “Uma Voz Silenciosa” não me chama muito a atenção na banca. Sei lá, pelo menos comigo não funcionaria. E só seria um motivo para o pessoal chiar e não comprar só porque traduziram o título.

  5. Por mais que eu goste de OPM, não me animei muito não. Espero que venha pelo menos no formato de Tokyo Ghoul, e se deixarem ele pra fase 2 eu compro a edição japonesa que chega mais rápido aqui em casa (sério, meus mangás importados chegam no máximo em três meses, enquanto isso Planetes é lenda aqui).

    Vagabond parece muito bonito mas não vou pegar pelos mesmos motivos de Berserk: obra muito grande e que sempre está em algum hiato. E o histórico dele aqui também não ajuda muito.

    Sobre o bolão – já perdi as esperanças haha, valeu JBC.

  6. OPM eu devo levar. É hilário e shonen clichê feito do jeito certo. Mas é o que você disse. No máximo deve vir algo que nem Tokyo Ghoul. E olha que o preço de TG já faz vários otaquinhos ficarem “nossa, 13 reais tá caro demais”. É claro que não vão colocar nenhum mimo e arriscar perder ainda mais gente por causa do preço. Nem culpo eles, de verdade. Só espero que venha numa hora boa, que eu consiga intercalar sem maiores problemas. É que ainda tem os outros lançamentos da Panini de 2016 e… já viu, né?

    Agora, Vagabond… cara, já tenho Berserk, sei sobre suas circunstâncias e mesmo assim só o coleciono pois é o meu mangá PREFERIDO, sabe? Top 1. O líder. É um sacrifício que faço para ter uma obra que gosto bastante. Vagabond eu não curto TANTO a esse ponto, mas reconheço o valor da obra. Principalmente porque é um trabalho do Inoue e é épico e talz… mas tem dois grandes problemas: o primeiro é que esse mangá já era pra ter terminado há tempos. Fato. Inoue está enrolando com algo que tem 37 volumes, isso não se faz com as pessoas. Segundo que o dinheiro que eu gasto numa edição que vai sair mais ou menos na faixa de Planetes (talvez até mais), eu pego e compro logo os livros de Mushashi no qual a obra se baseia. Leio e pronto: li, indiretamente, Vagabond. Show. Parece-me ser BEM mais em conta fazer isso. Sei que é impossível Vagabond ter vindo em uma qualidade inferior, tanto pela exigência do próprio autor quanto pela exigência dos antigos e novos compradores, mas só de imaginar o preço e o comprometimento. E olha só: não vai ser bimestral que nem Berserk, VAI SER MENSAAAAAAAAAL. Torço para que dê certo a aposta deles, mas o medo que fica do tetra… pra todo mundo, eu acho. Até pra própria Panini. Fico surpreso por arriscarem na obra, mas torço para que consigam seguir por ela. Muita coisa pode acontecer em 3 anos de publicação (é).

    E a JBC… meh, ou vai ter coisa no Ressaca, ou final se deram conta de que lançaram coisa demais este ano. Que venha ano que vem com mais acertos meus. Ou que venha o Ressaca com mais coisa da NewPOP e da JBC.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s