Review #30 – 5 Centímetros Por Segundo

wp-1452074715362.jpeg

Eles dizem que é cinco centímetros por segundo…”

Bom dia de uma quarta-feira nublada aqui em Porto Alegre. O mangá de hoje demorou para ser finalizado, e põe demorou, foram “apenas” 2 meses de atraso e a velha desculpa da aprovação de capa.

5 Centímetros Por Segundo (ou apenas 5Cm/S para preguiçosos como eu) é um mangá baseado em um filme de mesmo nome escrito por Makoto Shinkai. A versão em quadrinhos ganhou o traço de Yukiko Seike e foi compilado em 2 volumes encadernados.

Segundo a sinopse oficial da obra, ela conta a história de Akari Shinohara e Takaki Toono, e de como a amizade de infância deles se transformou em amor, obrigando eles a conviverem com a distância por morarem em cidades diferentes.

Mas na minha opinião não é isso. Após ler e reler 5Cm/S, a minha impressão é que este mangá conta a história de Toono e como ele afeta as pessoas ao seu redor. Claro que tem toda a questão do amor a distância, mas essa não é a história principal pra mim, e sim parte da história do Toono.
5_CENTIMETROS_POR_SEGUNDO_A1_1435787157513451SK1435787157B
Acho até que dizer que a obra tem dois (ou mais) protagonistas é errado. Temos Toono apenas, o resto é como tudo reage a ele e o seu sentimento.

Vou tentar me explicar melhor.

Podemos separar a série em três fases: infância, adolescência e a fase adulta de Toono, sempre tendo ele no meio de tudo. Na primeira é a evolução da amizade forte com Akari até o amor, sentimento esse que vai definir toda a vida do garoto a partir dali. É uma fase alegre e divertida, que nos deixa com aquele sentimento de “own”, principalmente na cena em que eles se encontram na estação de trem.

Depois vem a segunda parte em que muda “o narrador”, começamos a ver a história pelo ponto de vista de Kanae, uma garota apaixonada por Toono, mas que sente a distância do garoto com tudo e os sentimentos fortes e pesados que ele carrega, sem permitir se abrir para outros. Aqui já não temos mais Akari, a “garota física” se tornou um sentimento, uma mistura de amor e dúvida, dentro de Toono.

Temos a terceira parte já no segundo volume, com Toono adulto em um relacionamento, mas ele se tornou alguém amargurado e que não consegue encontrar o que quer, seja nesse relacionamento ou no emprego. É interessante notar que nessa fase o sentimento evoluiu negativamente, o amor virou um misto de obsessão e arrependimento que impede o garoto de ver o resto do mundo, mesmo que ele veja o quanto aquilo faz mal, ainda assim ele não consegue enfrentar. Impossível não se chorar com a cena do trem, um momento que nos faz lembrar lá da primeira fase mas que ao mesmo tempo é tão triste e pesada.

Ao final temos um pequeno vislumbre de Akari (que enfim volta a aparecer) vivendo sua vida, ainda pensando em Toono, mas sem aquele sentimento triste. É um contraste bem colocado, que enquanto um superou e seguiu em frente, o outro continua acorrentado naquilo. (ah, aquela cena do trem passando no final e ele sozinho…)5_CENTIMETROS_POR_SEGUNDO_A2_1449068315539388SK1449068315B

E esse é o ponto que eu mais gostei em 5Cm/S, é um mangá real, é uma história que a gente conhece, que se não aconteceu conosco, provavelmente aconteceu com alguém próximo a nós. É algo “palpável” e fácil de compreender e aceitar, mostrando um lado do amor que as pessoas simplesmente fazem de conta que não existe, mas que é muito mais rotineira do que o “felizes para sempre”.

Só acho que tem um ponto negativo no mangá: o final. Eu sou o tipo de leitor que gosta de desfecho e conclusão. Pode ser triste ou feliz, não importa, mas eu gosto de saber que acabou. 5Cm/S não tem um final propriamente dito, ele deixa em aberto para diversas possibilidades, bem na real, a única pessoa em todo o mangá que teve um final foi justamente Akari, a personagem que menos é explorada na obra. Sei lá, eu quero saber como ficou o Toono, o que aconteceu com a Kanae e com a Risa.

Mas isso é pequeno comparado a essa obra perfeita. 5 Centímetros Por Segundo é um soco na boca do estômago, aquele tipo de mangá que você termina de ler e fica alguns minutos parado olhando pra parede sem pensar em nada. Uma oscilação de sentimentos que nos acerta bem no fundo e nos faz perceber o quão frágil somos.

Nota: 4,8 / 5

Comprem essa obra pessoal, sério mesmo. O acabamento da NewPOP está lindo e realça ainda mais meu desejo de que obras nessa pegada “sentimental” venham pela editora (imaginem Shigatsu e Koe no Katachi pela NewPOP).

O preço de capa é R$ 16,00 e são apenas dois volumes. Deixem pra comprar algum bimestral da Panini pra depois e peguem esse aqui. Não vão se arrepender.

Anúncios

7 comentários

  1. Confesso que comprei o volume 1 só porque eu achei bonito, mas ainda não li, estou esperando achar o 2 também. Geralmente eu não gosto de comprar mangás que são adaptações de animes/games (a não ser madoka lol) mas esse parecia bem legal e come eu já disse, muito bonito e são só 2 volumes então pensei, porque não?
    Não vi o filme, só vi uns gifs e a animação parece ser um espetáculo também.
    Sorry pelo sumiço, a internet ficou meio esquecida pra mim nas últimas semanas, mas já tirei o atraso com todos os posts =P

  2. Enquanto isso, eu preciso esperar o volume 2 por causa de reserva. :c
    Mas eu vou te dizer: já vi a animação e é bem isso que você disse. É um soco no estômago. Makoto Shinkai tem coisas incríveis. E tem outros trabalhos dele que também possuem adaptações em mangá. Não sei se tão boas quanto a de 5cm/s (só lendo o 1º volume, já deu pra ver como é bem feita), mas seria interesse vê-las por aqui também. Compraria todas fácil, sou fã do diretor. Uma curiosidade é que o Shinkai, além de ter sido responsável também por fazer o roteiro do mangá, também foi quem criou a história do The Voice of a Distant Star que a Panini lançou por aqui. Outro mangá que também dizem ser ótimo e tá na minha lista de desejos há muuuuuuito tempo. O cara é incrível! Agora só falta trazer algo do Satoshi Kon por aqui no Brasil que eu piro de vez.

    • Fugindo um pouco do assunto já que você falou de autores, um cara que eu não entendo como ainda não teve nada aqui no Brasil é o Seo Kouji. Só de cabeça eu já consigo listar 4 séries conhecidas dele: Suzuka, Half & Half, Kimi no Iru Machi, Fuuka.
      Tirando Fuuka, todas as outras estão completas e eu acho que se dariam bem no Brasil. :/

  3. Tô esperando chegar o volume 2 na minha cidade, li o primeiro e achei demais. Realmente demorou muito pra sair! É o primeiro mangá da Newpop que compro e estranhei um pouco, o acabamento é sensacional, mas Haag não sei se você percebeu mas não tem aquele “indicador” no balão tipo é só o balão em cima do personagem, achei estranho isso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s