Post de Quinta #08 – Esquadrão Suicida

524164

Quinta-feira chegando e novamente eu vou me aventurando num post fora do nosso padrão, afinal, esse é o Post de Quinta e o tema tem alguma relação com o nosso nicho principal.

Bom, umas duas semanas atrás eu fui com minha namorada assistir Esquadrão Suicida, e hoje resolvi aproveitar a “falta de posts” para comentar minhas impressões do filme.

Algo curioso tem acontecido comigo nos últimos filmes de heróis lançados: eu não tenho vontade de ver. É sério, o último que eu fui por vontade minha mesmo foi Deadpool, depois disso, assisti X-Men e agora Esquadrão por que era a vez da minha namorada escolher o filme, e até hoje ainda não cheguei nem perto de Guerra Civil e Batman vs Superman.

Porém admito que tinha certa curiosidade nesse filme por dois motivos:

O primeiro era o Will Smith, eu gosto tanto dos filmes dele que vou até mesmo fazer um quadro da capa do Independence Day para colocar no meu ap. Só que mesmo gostando muito dele, eu fiquei com um pé atrás, e o motivo é justamente por conta do que aconteceu no filme: ele é “estrela” demais. Não estou falando do caráter dele tipo “esse cara é estrelinha”, não, estou falando do tamanho “Will Smith” se comparado ao resto do elenco.

Eu sou da opinião de que filme de heróis (nesse caso vilão) tem que ser feito com atores desconhecidos ou quase. Um exemplo perfeito pra mim é o Chris Evans como Capitão América, antes do filme ele já tinha vários filmes, mas nenhum de “nossa, é o Chris Evans”, eu só me dei conta que era o Tocha Humana quando já tinha o Vingadores.

Quando começamos a ter atores de maior nome, começa a ter também uma “briga de espaço”. Você não vai pagar milhões para um ator e colocar ele no canto do filme com três ou quatro falas, pelo contrário, vai dar o destaque todo nele.

pistoleiro-e-arlequina

E isso muitas vezes atrapalha (quase sempre), o maior exemplo são os recentes X-Men, onde a Mistica virou heroína e personagem principal da história, apenas para não ter que colocar a Jennifer Lawrence em segundo plano, além claro, de passar maior parte do tempo em forma “humana” ao invés do clássico azul dela. Na Marvel, volta e meia temos noticia das dificuldades em montar os filmes por conta do Robert Downey Jr e seu salário gigante, e olha que ele é o Iron Man, um dos maiores heróis de todos.

Se mesmo com personagens grandes em seus cenários, como Iron Man e a Mistica, já tem esse problema, imagina então em filmes de personagens mais desconhecidos. Em ES tivemos o Will Smith aparecendo em tudo, por mais que o Pistoleiro seja realmente um dos “líderes” do grupo nos quadrinhos, era possível sentir que maioria das cenas era só para colocar o Will Smith na tela, e assim como a Mistica, maior parte do tempo sem a “marca” do personagem que é a máscara branca, para não esconder o rosto do ator.

Eu acho que os filmes da Marvel e da DC já chegaram num ponto em que se vendem sozinhos, não precisam mais de um nome Will Smith para chamar publico. Algumas escolhas mais desconhecidas (ou quase) me agradaram muito.

Embora tenha forçado demais e ficado contraditória em alguns momentos, gostei da Margot Robbie com Arlequina. Muita gente tem criticado por dizer que ela não conseguiu “fazer uma boa personagem”, porém ai eu culpo muito mais o roteiro que pediu pra ela uma personagem mais voltada ao Coringa do que a si mesma.

Outro que eu gostei, por incrível que pareça, foi o Capitão Bumerangue do Jai Courtney. Foi um personagem de alívio cômico muito bom, acho que alguns dos melhores momentos era justamente quando ele aparecia, seja dando um soco aleatório em alguém ou abrindo uma latinha de refri no meio da luta.

Alguns personagens tinham certo potencial e que foram colocados em escanteio por causa do trio “Pistoleiro/Arlequina/Coringa”, como o El Diablo por exemplo, um personagem que no começo parecia que ia trazer algo para a história e que no fim não evoluiu nada (embora ninguém tenha evoluído na verdade).

O segundo motivo que me levou ao cinema para ver o filme era obviamente o Coringa. Eu sou um grande fã do palhaço, tanto nos quadrinhos quanto nos cinemas o Coringa sempre foi um personagem incrível para mim, e justamente por isso eu queria ver como seria o do Jared Leto: e eu odiei.

Alguns fãs “amaram” por terem visto nele diversas referências, as principais sendo claro aos Coringas do Frank Miller, mas também algumas coisas aos anos 70 e até mesmo ao personagem dos Novos 52.

E para mim (que estou longe de ser um especialista em HQ) esse é o problema principal, foi referências demais, ficou parecendo que ele não conseguiu absorver o personagem de uma maneira apenas e por isso precisou apelar para várias. Eu não consegui sentir naturalidade no Coringa do Leto como senti nos anteriores, as risadas e movimentos pareciam forçados.

Alguns amigos me disseram “Ah Haag, mas tem que ler o Cavaleiro do Miller para ver como está bom“. Pode até ser, eu não gosto muito da arte do Miller e por isso não li, mas no meu gosto pessoal, eu prefiro um Coringa mais “louco” do que gangster. O Leto até teve seus momentos “loucos”, mas não me parecia o Coringa, parecia só alguém um pouco “eu faço o que quiser”.

esquadrao-suicida-coringa-agambiarra

Claro, tem muito também de termos visto a pouco tempo (8 anos já) o perfeito Coringa do Ledger que ofuscou até mesmo o próprio Batman, e é impossível não fazermos uma injusta comparação com qualquer outro ator que tente interpretar o palhaço do crime.

Outra coisa que me preocupa é quando veremos o Coringa outra vez. Já foi confirmado que o vilão do próximo Batman vai ser o Exterminador, e isso é só para 2018/2019, ou seja, nos próximos 2 ou 3 anos não teremos o Coringa (não imagino ele na Liga da Justiça) e um possível segundo filme do Homem Morcego seria quando, 2021/2022? Não é muito tempo para um personagem já iniciado, com uma história já “contada” ficar parado?

Eu sai da sala do cinema com todas essas coisas na cabeça, ao invés de ficar pensando em “nossa, que filme foda”, eu só pensava em coisas como “tá, mas isso serviu pra que?” ou “qual a utilidade de tudo isso?”.

Quando ele foi anunciado, eu pensei que seria algo como foi Guardiões da Galaxia, uma equipe desconhecida do grande publico, mas que foi encaixada de forma perfeita dentro do cenário que a Marvel estava construindo com as pedras do Thanos.

E é esse o problema de Esquadrão Suicida, ele apresenta demais e ao mesmo tempo não apresenta nada. Ele aparentou ser um filme aleatório e sem nenhuma ligação com um futuro universo da DC.

Todos esses vilões vão ser usados outra vez? Capitão Bumerangue pode aparecer no Flash? Pistoleiro, Arlequina e Coringa vão aparecer quando no Batman? Será que vai ter Esquadrão Suicida 2? É tão difícil criar uma linha simples e lógica?

Esquadrão Suicida serviu apenas para aumentar ainda mais minha falta de vontade de ver filmes de herói. Vou esperar A Bela e a Fera mesmo, pelo menos tem a Emma Watson no elenco.

E por hoje era isso, me digam se curtiram esse novo tipo de post e se posso fazer mais alguns vez que outra.


PS: “Haag seu charlatão, cadê a parte 2 dos títulos da NewPOP que tu prometeu pra ontem?

Bom, eu tinha esquecido que ontem era feriado, e como vocês sabem, não tenho internet em casa. Por isso acabei não conseguindo terminar ele a tempo de agendar pra ontem.

Esse post do Esquadrão já estava praticamente pronto para hoje, faltava só a conclusão mesmo, por isso finalizei ele e postei, deixando o da NewPOP para amanhã, já que não vai ter AdS. 😛

Anúncios

6 comentários

  1. Já foi confirmado o Exterminador no filme do Batman então?
    Bom, eu gostaria que tivesse uma rápida aparição do Coringa no filme do Batman, meio que só “planejando” alguma coisa, que sirva num próximo filme
    Vai ter filme solo da Arlequina, não faço ideia de quando sai, mas é o melhor momento onde se encaixaria o Coringa

    e parece que já andam falando de Esquadrão 2, mas nada concreto ainda

    • Sim, o próprio Ben Affleck já colocou um vídeo com o Exterminador.

      Então, sobre uma “rápida aparição” do Coringa no filme, eu não descarto, mas acho que seria repetir o mesmo erro de Esquadrão Suicida, colocar o Coringa apenas por colocar, só “porque ele podia aparecer” e sem dar nenhum tipo de profundidade.

      Filme solo da Arlequina? Pra que? Ela não é nenhum Deadpool ou Wolverine para ganhar o próprio filme, nem mesmo a HQ solo dela é tudo isso.

      Já segundo ES é outra coisa sem sentido pra mim, ~SPOILER~ Como que a Amanda vai enganar/convencer eles outra vez? Será que ela vai “desafiar” o Batman depois daquele aviso que ele deu no fim do filme?. Eu segundo Esquadrão faz menos sentido que um filme solo da Arlequina. :S

  2. Sinceramente, dos últimos filmes que saíram, o único que eu considerei bom, bem fechado, foi Guerra Civil. Mas vamos por partes.
    Eu odeio o Deadpool, acho um personagem extremamente desleixado, mas não por ele ser assim. É pelos roteiristas fazerem qualquer roteiro sem pé nem cabeça e quando você reclama, sempre tem um pra falar pra você: “Ah, mas é Deadpool”. E eu acho que muito disso se refletiu no filme dele. Estou falando disso, porque, eu vi isso no filme do Esquadrão.
    Achei os personagens sub-aproveitados (exceto a Arlequina e o Pistoleiro, que também são ruins), furos de roteiro, falas que estão ali apenas pra explicar, sem naturalidade nenhuma, piadas sem necessidade e por aí vai.
    Se o vilão era tão forte, tão incrível, porque raios não chamaram heróis mais poderosos? Pra quê ficar apresentando o pessoal toda hora? São muitos personagens e isso chateia um pouco, eles tem que ir sendo apresentados aos poucos, no desenrolar da história.
    O pessoal tem mania de achar que porque os personagens são todos vilões, podem fazer qualquer coisa, ao melhor estilo cachorro-louco, mesmo que isso não faça sentido algum. Sua definição foi perfeita Haag, o filme mostrou muita coisa e nada ao mesmo tempo.
    Batman vs Superman já havia deixado essa sensação, agora com o Esquadrão Suicida, ficou muito mais evidente que os filmes da Marvel são muito mais “pensados” como parte de um todo.
    Não sou “Marvete” ou coisas do tipo, pelo contrário no universo dos quadrinhos, gosto um pouco mais da DC, nas séries também, mas no cinema, a superioridade da Marvel continua indiscutível.

  3. O problema desse universo da DC é que ela está querendo alcançar a Marvel em construção de universo sem construí-lo. O filme do BvS tem muita coisa (e pelo que eu ouvi falar, o Ultimate Edition, que vem com uma porrada de cenas a mais, consegue a façanha de não explicar os principais plotholes do filme) e o ES também sofre disso no começo do filme, apresentando duzentos personagens. Se cada herói tivesse seu filme solo antes com cada um desses vilões, tanto BvS quanto ES seriam muito melhores.

    E sobre o Coringa, eu concordo com o pessoal que fala que ele está muito “adolescente rebelde”, hahahah. Ele parece alguém querendo ser psicopata, e não um verdadeiro psicopata. Eu vi um vídeo do Film Theorists que fala mais sobre os coringas e tal, e aparentemente o do Jared Leto é pra ser baseado no primeiro Coringa ou algo assim, mas não leio quase nada de HQ, então não vou falar (não que isso justifique ele estar ruim).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s