Comentando o Volume #96 – Saintia Shô vol. 01

saintia_sho_a01_1474060145590973sk1474060145b

Bom dia pessoal, o feriado chegou e aqui estamos nós novamente para mais um CoV, dessa vez falando do novo título da franquia dos Cavaleiros a chegar nas bancas nacionais.

Saintia Shô é mais um dos muitos spin-offs de Saint Seiya que são lançados no Japão. A obra estreou nas páginas da Champion Red em 2013 e vem sendo publicada mensalmente, com o trabalho ficando por conta de Chimaki Kouri.

O grande diferencial desta obra para todos os outros títulos da franquia é que aqui não temos “os cavaleiros” e sim “as cavaleiras”, ou como a obra chama: as Saintias. Quem já assistiu/leu a franquia original, sabe que já existiam as amazonas, que eram as guerreiras que se escondiam com mascarás. Mas as Saintias são diferentes, são “cavaleiras” pessoais da deusa Athena, como se fossem “damas de companhia” da deusa.

Outro ponto interessante em Saintia Shô é que a obra acontece ao mesmo tempo e no mesmo universo que a franquia original. Ela não é um universo paralelo ou séculos antes/depois. Esse primeiro volume acontece nas vésperas da Guerra Galáctica.

Confesso que achei esse um defeito da obra. Não o fato dela ocorrer ao mesmo tempo que a original, mas sim o momento escolhido. A história ter ocorrido nas vésperas da Guerra Galáctica não faz sentido nenhum, pois as coisas não batem, principalmente quando temos a Saori como uma das protagonistas em ambas obras, pois em Saintia Shô ela aparenta já saber de coisas que ela não deveria saber pelo menos até o inicio do Santuário.

Acho que essa escolha do momento de inicio foi mal feita, talvez se fosse após o fim do arco das Doze Casas, antes de Poseidon, ali talvez já fizesse mais sentido, pois Saori já era reconhecida por todos como Athena, então faria mais sentido ela ter uma “guarda pessoal”, pois o Santuário aceitaria ela como tal. Mas antes ficou meio estranho.milo

Claro, essa é uma opinião de quem leu/assistiu Cavaleiros do Zodíaco e percebe que realmente não bate. Já quem nunca teve contato nenhum com a obra principal, esse tipo de coisa é irrelevante e não afeta nada sua experiência, pois aqui entra um ponto positivo ao menos nesse primeiro volume: a obra é independente até onde pode ser.

Óbvio que temos várias referências, como Miro de Escorpião e tal. Mas isso não interfere em nada na leitura, saber quem ele é ou não, tem a mesma relevância, pois ele é apenas citado como alguém que pode vir a aparecer no futuro, algo normal em qualquer série começando.

As personagens são muito boas, a protagonista Shoko é ótima, extremamente cativante. Conheço muita gente que estava receosa por um preconceito besta de achar que, por ter protagonistas femininas, seria uma história mais feminina. Longe disso, mesmo trazendo personagens femininas como centrais, eu não senti nenhuma pegada mais “melosa” como um Sailor Moon ou Sakura por exemplo. Seguiu normal.

Como comentei, eu gostei muito da Shoko, ela é forte e motivada, do tipo que prende o leitor. Vou ser sincero, para mim ela dá de dez no Seiya. Ao final do volume, quando descobrimos qual vai ser a motivação dela para virar uma Saintia, percebemos o quanto ela ainda pode evoluir, e isso dá ainda mais vontade de ler.

A arte é incrível, eu terminei o volume e pensei: porque não refazem o original com essa arte? Ela é muito boa, as armaduras estão bem legais e os personagens estão muito bem acabados. O pequeno relance que tivemos do Miro já foi possível dar uma pequena comparada nas obras ao vermos um personagem que aparece em ambas obras (imagem no meio do texto).

Não tenho muito o que falar da JBC, quem compra Magi e Nanatsu sabe como está o acabamento dos mangás em brite, e Saintia Shô não ficou devendo em nada para eles.

Eu gostei muito desse primeiro volume, comparando os primeiros volumes, é muito superior a história principal. Recomendo tanto para quem quer entrar no universo de Cavaleiros mas não quer pagar o kanzenban, quanto para quem quer um mangá bom de golpes especiais e boa arte.

Sinceramente, acho que Saintia Shô se apresenta como um dos lançamentos mais interessantes de 2016. Que venham os próximos volumes.

Eu comprei o meu na Jambô, então ganhei o pôster e estou usando ele como sobrecapa (quem ai também faz isso?).

wp-1479150579139.jpg

Anúncios

3 comentários

    • Uma difícil escolha, meu Zero Eterno eu comprei justamente nesse kit da Saraiva e veio direitinho. Já FMA é FMA, nem tem como descrever. Eu recomendaria ele claro.

      Porém você deve pensar duas coisas:
      1- Zero Eterno está completo, são os cinco volumes e deu, já FMA são 27, ainda vai ter q comprar mais 22.

      2- São temas e pegadas bem diferentes. Se você gosta de algo mais realista e histórico, ZE é a opção. Se você prefere ação e aventura, fica com FMA.

      Eu pegaria FMA e deixaria o ZE para o futuro, pois a Saraiva está com esse kit a venda desde o ano passado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s